domingo, 3 de fevereiro de 2013

Questão de atitude




Na adolescência Joana fez uma escolha. meio inconsciente , mas ainda assim uma escolha.  Se afastar de relacionamentos. As pessoas eram complicadas demais. E exigentes demais. Será?  A final o que realmente define a atitude das outras pessoas com relação a gente? Será que somos realmente tão impotentes assim? E que quando nos relacionamos viramos reféns da outra pessoa?

Bem Joana tem observado algo interessante. Uma reação diferente quando ela conta a sua historia.  Como se ela passasse de problema para exemplo . Pelo menos para algumas pessoas. Mas o que aconteceu em sua vida não mudou. Então porque essa diferença? Porque algumas pessoas a acham dramática e putras não veem tanto drama assim nela? Porque isso se ela conta os mesmos fatos?

Joana chegou a uma resposta quanto a isso.  E foi o seguinte: A maneira como vemos e contamos a historia é mais importante que o fato em si.  É uma questão de perspectiva.

Vou listar alguns fatos da vida de Joana e depois mostrar duas maneiras de contar a mesma historia.

Vamos aos fatos:

1) Joana teve dificuldades escolares no inicio de sua vida escolar.
2) Joana conseguiu supera-los mas parecia presicar estudar o dobro que as outras pessoas para chegar ao mesmo resultado.
3)  Joana tinha dificuldades sociais
4) Está tentando supera-las
5) se desentendeu com uma amiga.

Agora vamos as versões. Versão 1:

"Joana teve muito dificuldade no inicio da vida vida escolar.  Com o tempo até se tornou boa aluna mas tinha de estudar o dobro em comparação aos seu colegas. é, ela não era muito inteligente , né. Era uma forma de compensar  Para ela atingir o que muitos conseguem com facilidade tem de abrir mãe de tudo.  Fazer o que ela não foi beneficiada com a inteligencia.  E sempre foi pessima em relacionamentos e por mais que tente supera-los parece que nada é p suficiente. E o  seu mais recente desentendimento é uma prova de que amizades não é para ela".


Versão 2:

"Joana teve muita dificuldade no inicio de sua vida escolar., mas ela não desanimou nem se deixou abater. Ela iria se recuperar nem que para isso fosse preciso estudar o dobro do que via seus colegas estudando. Com muita força de vontade ela conseguiu se superar. E todos ficaram um tanto impressionados quando ela se tornou uma das melhores alunas. Joana tem muita força de vontade e capacidade de superação.  Força de vontade que atualmente ela está usando para melhor sue relacionamentos sociais.  Mas isso é um aprendizado também e como em todo o aprendizado há tropeços. E ela se desentendeu com a amiga mais uma vez.  Desentendimento que Joana usará como um degrau  E mesmo que elas n~so se entendam mais o aprendizado com essa experiencia será proveitoso para futuros relacionamentos."


Como podem ver são versões bem diferentes da mesma historia.  Na versão 1 seria de alguém que acha suas dificuldades insuperáveis. E essa crença a torna uma vitima de duas limitações.  A versão 2 seria de alguém que acredita que tudo é superável e não quer suas "limitações" definam a sua vida.

Joana já usou as duas versões. E ela percebeu o seguinte. Para quem ela usou predominantemente a versão 1 as pessoas tendiam a vê-la como um problema.

Mas em um determinado momento da sua vida ela passou a usar a versão 2 e para quem ela fez isso e viu de forma completamente diferente, como um exemplo.

 E o mais interessante de tudo é que não foi a historia que fez diferença , foi a atitude de Joana com relação a historia.

Agora não estou dizendo que devemos fazer isso para obter aprovação das outras pessoas. Até porque nem sempre vai ser assim. Não tem como controlar o que a outra pessoa sente sobre você.  Porque se ver como vitima enfraquece e faz com que nos tenhamos força para levar a nossa vida.

Mas Joana  observou essa mudança de olhar a ela como uma consequência.  E a fez perceber  que a forma como as pessoas nos veem tem muito a ver com a nossa atitude perante a elas e perante a vida.





Nenhum comentário:

Postar um comentário