domingo, 20 de janeiro de 2013

O Jogo






As vezes Joana se lembra de coisas do nada.  De acontecimentos  Acontecimentos simples na maioria das vezes. Mas parece que são os mais simples que lhe oferecem os maires insights.

Joana tinha uns 13 anos e na época estava fazendo um acompanhamento com uma psicomotricista para melhorar a coordenação motora. E em uma das consultas a psicomotricista solicitou que ela fizesse um jogo. E Jona fez.  Um jogo de dados e tabuleiro. Ela desenhou o tabuleiro. fez as regras.  E ela e a psicomotricista começaram a jogar.  Só que o jogo não acabava. As regras criadas por Joana fizeram do jogo dificil demais e parecia mesmo ter tornado impossível que o jogo chegasse ao fim.

Em determinado momento Joana começou a ficar exausta e cansada.  O Jogo não terminava.  E ela já queria fazer outras coisas  mas estava presa naquele jogo.  Um jogo que não estava sequer sendo divertido a Joana.

E então Joana se virou para sua parceira de jogo e perguntou se já que ela havia criado o jogo se ela não podia mudar alguma regra. E a resposta foi sim afinal o jogo era dela.  E então Joana retirou algumas regras do jogo que davam ao mesmo uma dificuldade desnecessária. E depois de pouco tempo o jogo foi completado.

E sabe como no jogo de Joana as vezes  acontece o mesmo na vida. Colamos dificuldades desnecessárias a nossa frente.  Colocamos condições para nos sentirmos bem, mesmo sabendo que temos muitas bençãos em nossas vidas.  Não estou dizendo que devemos gostar de tudo o que acontece em nossas vidas.  Para nos sentirmos bem não é preciso gostar basta aceitar.

Aceitar como natural da vida haver algum desentendimento  Algum plano frustrado.  Afinal quem garante que um plano frustrado não dará origem a um plano que nos levará a um locar que nos deixará mais satisfeitos que no plano original?

Não estou dizendo para negarmos nossas frustrações. Mas não é a frustração em si que nos rouba a felicidade. é a não aceitação. Sentimentos como frustração estão presentes em todos.. todos sentem em algum momento da vida.  E aceitar isso em nós significa aceitar que somos  humanos.

Enfim Joana descobriu que uma das coisas que pode tornar o jogo da vida estressante é a não aceitação de seus sentimentos. Sentimentos humanos. Eles só são prejudiciais se nos deixamos dominar por eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário