domingo, 9 de dezembro de 2012

Estranha Demais para Existir






É algo interessante.  Joana sempre se sentiu fora do radar, ao mesmo tempo ela percebe que chama muita atenção.  É algo totalmente paradoxal. Mas de repente me veio uma frase: "Joana é estranha demais para existir."

E é isso mesmo. Isso explica os olhos arregalados que Joana recebeu durante toda a sua vida ao dizer o que sentia, como era sua vida. É como se as pessoas dissessem: Como pode ser?? Não existem pessoas assim!!

É como se Joana chocasse as pessoas. Não por querer causar polemica. Alias isso sempre foi algo que Joana tentou evitar. Ela sempre procurou não ser provocativa, nunca gostou muito de ironias. Embora de uns tempos para cá venha considerando a Ideia de que a ironia em algumas situações pode ter seu lugar.

Mas Joana causa choque porque ela se comporta diferente do que se espera. Uma adolescente que não gosta de baladas? Deve estar deprimida!! Como pode uma adolescente não gostar de agitação, barulho, festas?? Uma vez ela ouviu que um sinal que estamos ficando velhos é que começamos a nos incomodar com o barulho, não gostar de agitação. Nossa!! Será que Joana sempre foi velha?? Joana
não é mais adolescente, são apenas exemplos de reações que ela obteve ao ser quem é..ao ser sincera quanto as suas preferencias

Ou quando disse que não se divertia em festas.. Olharam para Joana como se essa fosse a coisa mais absurda que já se ouviu. Como pode alguém dizer que tudo bem passar um final de semana em casa? Como pode alguém dizer que se sente perfeitamente bem apenas em casa ouvindo musica.. e que por mais que goste certos cantores não sente a necessidade de ir a shows e ficar gritando o nome deles?? Como pode isso?? Pessoas assim não existem?? E se Joana disser que não está deprimida por não namorar.. aí é que a acham doida de vez..

Agora Joana não está criticando quem vai a show, quem gosta de balada, quem quer ficar com mil garotos em uma noite. Não!! As pessoas que gostam disso tem todo o direito de gostar. Tem todo o direito de fazer algo em que se sentem bem. Mas porque parece que 90% ou mais das pessoas se sentem bem fazendo isso, não significa que Joana também se sinta. Não significa que quem tenha outras preferencias tenha algum problema.

E sim, Joana sabe que não precisa buscar a aprovação dos outros. No entanto não é tão fácil se sentir tão a margem a ponto de achar que não tem nenhuma pessoa no mundo parecida com você. E sim isso é um exagero. E hoje Joana sabe que não é a unica pessoa no mundo. Só que para pessoas como Joana é fácil chegar a essa conclusão. Pessoas como ela não são fáceis de achar.  Elas se escondem.

Elas se escondem porque as pessoas não se identificavam com o que elas falam. Elas se escondem por receberem olhares de espanto simplesmente por serem quem são. E se já são minoria com essa atitude a chance de encontrarem "iguais" é praticamente anulada. Mas elas, assim como Joana fazia, se escondem porque acham que essas pessoas não existem. É apenas ela no mundo e ninguém mais. E mesmo que em uma cena improvável duas "Joanas" sentassem lado a lado elas não se reconheceriam, pois ambas estariam ocupadas tentando esconder o que sentem e o que são para evitar chocar.

"Joanas " meio que estão na contra mão do mundo. Porque se a maioria acha difícil ficar só. Para "Joanas" é mais simples. Porque a solidão nesse caso seria mais fácil do que lidar com a mensagem implícita trazida pelo mundo. A mensagem é: Você não existe!!!

As pessoas viam Joana, as vezes ela arriscava falar. Mas tudo o que falava sinceramente sobre si mesma era estranho demais. Não podia existir. Então Joana achou melhor calar. Desistiu de procurar, se ela era tão estranha, não haveriam pares.. Eles não existiriam. A solidão de Joana era mais do que não falar com ninguém na sala de aula. Mas sim de se achar tão diferente a ponto de ser impossível se conectar com alguém.

Na essência Joana quer o que todos querem. Ser feliz, ser amada., amar. Mas parece que seu comportamento, o que ela pensa ou acredita é estranho a maioria. E a maioria acaba mesmo vendo-a como uma especie de extraterrestre. Como alguém estranha demais para existir.

Mas quando esse blog surgiu foi um total espanto porque teve gente que se identificou. Joana tinha certeza que isso não aconteceria. E ela percebeu que: primeiro, ela não era a unica, apenas faz parte de uma minoria. E segundo , escondendo quem é não encontraria pessoas afins nunca.

Sim, é verdade, elas são dificieis de encontrar elas se escondem. Mas quando Joana lembra de sua vida ela percebe que o que ela gostaria era que alguém a ouvisse sem se espantar , sem achar que pessoas como ela não poderiam existir. Que alguém reconhecesse sua existência  Porque no fundo o que ela sentia era que sua existência não era reconhecida.Quando se sente que uma pessoa faz isso mesmo que o mundo inteiro não faça podem acontecer milagres dentro de uma pessoa.  Joana teve a prova disso. Embora por uma pessoa que nunca se isolou tanto quanto ela.

Se uma pessoa como Joana tiver coragem de se mostrar, talvez outras façam o mesmo. Talvez vejam que não é tão perigoso assim. Joana sempre sentiu falta disso nas suas pesquisas no google. Mesmo quando se trata de se descobrir, auto conhecimento. Se fala muito sobre lidar com o momento de solidão, se fala muito que os amigos podem se afastar. Mas isso não se encaixa muito em uma pessoa que sempre teve dificuldades em ter amigos, ou mesmo alguém que nunca teve um de verdade. Não se encaixa muito para alguém que vai a uma aula e simplesmente fica quieta. Não se encaixa muito para alguém que nem procura o outro porque acha que não vai conseguir se conectar mesmo..

Joana sente falta de escritos dizendo que não é perigoso se conectar, que  é seguro sair um pouco de si mesma e ir em direção ao outro. é como se "Joanas" estivessem fora do radar. Mas tudo bem. Eu as colocarei no radar agora, com esse singelo post de blog.


7 comentários:

  1. Florzinha:
    Espero que todos esses sentimentos e atitudes pertençam ao passado.
    Quanto ao ser diferente, você sabe minha opinião, já leu no meu blog.
    um grande abraço e beijos

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Atena,

    Nada do que eu escrevi me deixa deprimida mais.. O meu objetivo ao fazer esse post foi simplesmente uma forma discreta dr tornar visível o invisível..além do mais não vejo nada de errado nas minhas atitudes descritas..

    ResponderExcluir
  4. Eu realmente não entendi bem o espero que faça parte do passado.. porque ao meu ver não foi um post negativo.. eu apenas expus alguns sentimentos que tive durante a minha vida.. E eu não estou me escondendo mais porque se estivesse o blog não existiria. O meu objetivo foi mostrar que apesar de tudo isso pessoas como eu podem se expor.. e que essa é a unica forma de encontrarmos outras como nós.. como ve .. nada de negativo..

    ResponderExcluir
  5. Luciana:
    Onde você leu que falei em algo errado?
    Você, como leitora do meu blog já deveria saber que não concordo com posturas certo x errado. Tudo são experiências que desenvolvemos aqui para nossa evolução.
    Quando disse que esperava fossem coisas do passado, achei que entenderia, pois com o Pathwork você descobriu que eram sentimentos e atitudes que a faziam sofrer.
    Fico contente que tenha confirmado ser coisa do passado.

    ResponderExcluir
  6. ok, nãoé minha intenção brigar.. nunca gostei muito disso.. e pelo o que conheço de você sei que a sua também não.. bem acho que interpretei mal o que você disse.. interpretei como isso deveria estar no passado.. eu fiz esse post achando que poderia ser útil a alguém.. e tive a impressão que você viu como algo negativo e isso me frustrou um pouco.. Apenas gostaria que você não ficasse chatada comigo.. Porque apesar de só termos nos visto pessoalmente uma vez.. e bem rápido eu gosto de você e gosto muito de seus posts no blog.. Como disse eu apenas tive uma má interpretação..

    ResponderExcluir
  7. Florzinha:
    Não considerei que estivesse brigando. Apenas tentei mostrar que você partiu para um lado equivocado.
    Sempre tento ajudar você de alguma forma porque acho que já sofreu bastante e torço para que supere definitivamente suas inseguranças. Você pode!
    Entendi sua vontade de ajudar outros também através de suas experiências. Acho louvável.

    ResponderExcluir