quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Carta de Joana: Não Lamente por Mim

Antes der escrever mais esse texto eu gostaria de fazer uma observação. Eu tive a ideia de fazer esse texto como uma carta de  Joana a alguém . Mas o você aqui não se refere a ninguém em especifico. Foi feito depois da observação da reação de diversas pessoas a respeito do tema do texto ao longo de minha vida. Então eis a carta de Joana.




Não Lamente por Mim


Olá aqui é Joana. Estou escrevendo para te dizer algo que talvez você nunca tenha compreendido ou acreditado. Estou escrevendo para te dizer que você não precisa lamentar por mim. Sim, é verdade que no ano que vem já vou fazer 30 anos e nunca namorei,sou virgem, e nem mesmo beijei alguém na boca. Mas acredite ou não isso não me incomoda. Isso não faz de mim uma pessoa triste ou amarga. Ou você acha que a unica forma de uma pessoa ser feliz é namorando? Será que você não acredita que existem outros prazeres na vida? Porque seria necessariamente triste alguém não namorar??

Ahhh sim, eu sei você considera isso algo essencial na vida. Mas quem te disse que eu, Joana, vejo assim? Quem disse que todos veem as coisas da mesma forma que você ve? algumas pessoas ficam deprimidas nessa situação? Sem duvida, mas porque você acha que por  algumas pessoas ficarem eu tenho necessariamente que ficar?? E me arrisco a dizer que muita gente não ficaria tão deprimida se não se importasse tanto com o que a sociedade preconiza que temos de viver.

Bem, e se eu não quiser viver assim?  E se viver assim não me satisfazer  E se não ver essa importância toda nesse tipo de relacionamento, o que você diria? Que eu não sei viver? Que eu não sei o que estou perdendo?

Bem, eu te direi algo que talvez te deixe chocado. Eu não sinto como se estivesse perdendo alguma coisa. eu simplesmente não vejo nenhuma necessidade de namorar, fazer sexo. Muita gente não acredita que existem pessoas assim. Mas se você é assim isso já é uma questão sua e não minha.

E eu antigamente realmente ligava para os olhares estranhos em relação a mim quanto a esse tema. Mas descobri que eu não sou obrigada a agir de uma maneira que eu não quero porque a maioria das pessoas acha minha atitude estranha.  E não há necessidade de esconder quem eu sou e o que eu penso.

Agora quanto a questão de saber viver é algo interessante. O aproveitar a vida. Parece que para algumas pessoas se você não namora, você não aproveita a vida. Na verdade não é só no namorar. É no namorar, ir a festas, beber muito..enfim.. Mas quem disse que quem fica em casa lendo um livro não está aproveitando a vida? E se eu gostar de ler livros? E se isso me der mais prazer do que namorar , ir a festas e beber muito?

Talvez eu não esteja aproveitando menos, talvez o meu jeito de aproveitar seja um pouco diferente do seu. Eu acho que aproveito bem mais nas minhas atividades do que indo a festas e bebendo muito mas nem por isso eu chego para você e digo que você deveria fazer diferente, que você não está aproveitando a vida. Vamos combinar assim. Eu aproveito do jeito que achar melhor e você do jeito que você achar melhor.

Porque você se lamentaria por mim se eu não me lamento por mim mesma?Entenda que quando digo que nunca namorei e que sou virgem não estou me lamentando. Estou falando um fato. E se me perguntam eu digo a verdade. Qual a necessidade de esconder isso? Por acaso é crime? Não é.. Embora algumas pessoas pareçam ver assim.  Mas quando eu digo a primeira coisa que fazem é tentar me consolar como se fosse a coisa mais triste do mundo.  E eu digo não é. É apenas algo que até o momento eu nunca tive interesse de fazer. Não digo de forma taxativa que jamais acontecerá. Já aconteceram coisas em minha vida que acreditei que jamais poderiam acontecer. Mas você não precisa me consolar, isso não me deixa nem um pouco deprimida.

Então eu digo se você quiser se lamentar por mim, vá em frente. Nem eu , nem ninguém podemos te impedir.  Mas você pode ter absoluta certeza que eu, Joana,  não lamento por mim mesma. Está tudo bem comigo, quer você acredite quer não.



Nenhum comentário:

Postar um comentário