domingo, 17 de junho de 2012

Espelho, espelho meu



Espelho, espelho meu

Haverá alguém mais paradoxal que a Flor?

Como pode alguém clamar por independência

e se ressentir se dizem:

Se vira sozinha!!


E querer se relacionar mais intimamente

Mas em uma intimidade que

não venha o conflito no pacote

Nem as exigências

Será que a intimidade é sinônimo de exigência?


Como depois de dizer tanto querer

ser dona da própria vida

sentir que não pode continuar

e se sentir perdida

sem os conselhos de seu amigo

ou sem ao menos se sentir próxima dele


Como pode alguém querer independência e sentir

que não tem como fazer sozinha

espelho , espelho meu

Existirá alguém mais paradoxal que a Flor???



quinta-feira, 7 de junho de 2012

Consciência do Próprio valor



Quando Joana decidiu se abrir aos relacionamentos novos desafios surgiram. Mas não. Não falo em namoro.  Joana não tem experiencia alguma nesse tipo de relação. É algo que parece ser tema central na vida de muita gente. Mas não na vida de Joana.

O tema central na vida de Joana sempre foi o isolamento. Sempre foi se proteger do mundo exterior em um mundo interior super agradável e totalmente irreal.  E para ela ir para o mundo exterior é desafiante e até mesmo amizades são complicadas.

Para começar Joana não acreditava que poderia ter amigos. Ela havia desistido disso. E é engraçado porque dizem que quando não se acredita que algo possa acontecer não acontece. Mas no caso de Joana isso não foi tão verdadeiro. Porque amizades apareceram. Mas quando elas apareceram surgiu também o medo daquilo não ser real. Como poderia ser? amizades não eram para ela. Ela demorou a se convencer.  Mas mesmo quando se convenceu o medo não desapareceu.  E Joana começou a sentir quase uma compulsão em provar que ela valia a pena.

E Joana se concentrou tanto nas poucas amizades que apareceram para ela que não percebia que haviam potencial para outras.  Joana descobriu que se concentra não apenas em seus temas de interesse, mas também em pessoas de interesse. Como se amizades fosse algo tão irreal que aquelas poucas fosse o maximo que ela iria conseguir. E que sem elas, ela ficaria sozinha novamente.  E com crenças como essa dificilmente essas amizades seriam saudáveis. Porque qualquer sinal de desagrado pareceria o fim. E é impossível agradar todo o tempo.

Suas relações eram baseadas em desabafos. Mas quando tudo já foi dito.. e quando tudo o que poderia ser dito sobre seus desabafos já foi dito, isso se torna improdutivo.  No entanto essa parece ser a unica forma que Joana sabe se conectar. E  seus desabafos são acompanhados por silencio, talvez por tudo já ter sido dito. E, por mais , infantil que possa ser isso a magoa.

Então ela decide de afastar. Afinal ela já se sentia afastada de qualquer maneira. E então ela percebe que existem outras pessoas que a chamam e conversam com ela. E que ela não tem apenas uma opção de amizade.  E que com essas pessoas ela consegue falar de outras coisas. O problema ao se focar em uma coisa é que se perde o quadro geral. Não vemos que muitas outras coisas estão acontecendo.

Então Joana percebeu que suas amizades poderiam ter mais do que apenas desabafos.  Poderia ser uma troca de experiencias. E que eram relações desse tipo que ela queria.  mas para isso ela precisa ter as experiencias. Ela precisa ter uma vida.  Viver sua vida e não apenas pensar sobre ela.  Se Jpana conseguir fazer isso as coisas mudarão e muito.  Espero apenas que Joana coloque isso em pratica e não que seja apenas mais uma das descobertas que nunca sairam do papel ou de sua mente. Mas Joana acredita que sairá dessa vez pois sente que algo já está diferente dentro dela. E Joana finalmente percebeu algo muito importante: O que realmente faz diferença é a pessoa acreditar que ela vale a pena.  Isso retira o estresse de um relacionamento. Porque ele deixa de ser a busca de uma prova de valor da pessoa.  E pessoa só consegue se relacionar de verdade quando está consciente de seu próprio valor. Só assim se pode ter relacionamentos saudáveis.