sábado, 6 de agosto de 2011

A raiva que moveu Joana

raiva

 

Joana começa a postar na internet. Começa a se expor mais. Começa a fazer amizades virtuais. Muitas apenas superficiais. Mas algumas bem verdadeiras. E então nesse processo ela encontra a Daniela. E elas se tornam grandes amigas. Daniela também está passando por mudanças significativas em sua vida. E então elas passam a compartilhar o processo.

Juntas elas até fazem uma comunidade. Que no começo foi ótima. No entanto a amizade de Joana e Daniela passou por uma crise. Ambas estavam em fases diferentes. Com visões de vida totalmente diferentes. E essas fazes se conflitaram. E a amizade foi abalada e Joana ficou profundamente magoada. A ponto de não querer ver ou falar com a amiga. E como resultado disso a comunidade acabou.

Joana então foi tentada a voltar a trancar a porta do seu quarto, a mais uma vez não permitir que ninguém entrasse. Não parecia valer a pena. Não parecia que se aventurar fora do quarto tinha trazido algo de bom em sua vida.

Mas Joana já estava diferente. Em pouco tempo percebeu que ela não voltaria a ser como antes. Não tinha mais como.  Joana não reagiu a esse conflito se retraindo, como havia feito em toda a sua vida. Não!!! Dessa vez ela ficou com raiva.

Uma raiva tão grande que a moveu. Essa raiva foi o que impediu mais uma retração de Joana. Agora não tinha mais jeito ela iria continuar se expondo.  A raiva pela primeira vez havia superado o medo que a levava a retração. Joana não estava sequer se reconhecendo ´porque a atitude que ela estava tendo era bem diferente da habitual.

Ao invés de se retrair Joana se expos mais. Em sua raiva ela pensava: “não vou deixar de fazer o que sinto vontade por causa de ninguém”. Etendam que esse não era um pensamento típico de Joana. Foi preciso muita raiva para ela chegar a pensar isso.

Joana começou a participar ativamente de outras comunidades. E até fez um blog. Que para sua surpresa muita gente gostou. E até se identificou. Joana não esperava pois se achava tão diferente que achava que ninguém se identificaria com algo que ela escrevesse. Mas Joana percebeu que mesmo pessoas aparentemente bem diferentes dela se identificavam. Joana então viu que as pessoas em geral são até bastante parecidas. O que muda não são os sentimentos emoções. Não existe pessoa que nunca sinta medo, ansiedade, insegurança… O que muda é apenas a maneira de lidar com essas emoções.

Nesse período esse foi o principal aprendizado de Joana. Com o tempo Daniela e Joana se encontraram e voltaram a se entender. Se tornaram novamente grandes amigas. E Joana percebeu que essa briga foi na realidade uma benção. Pois através dela que Joana conseguiu reunir a coragem para se expor mais. Além do fato de não ter perdido nada na realidade, afinal a amizade não acabou apenas se tornou mais forte.

3 comentários:

  1. Olá Luciana!

    Todas as dificuldades que passamos em nossas vidas devem nos fortalecer, pois de uma forma ou de outra nos ensinam a crescer e nos dão força para aprender a juntar os cacos.

    Bjokas
    Gisele

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Postagem divulgada no blog Teia
    Até mais

    ResponderExcluir
  3. Florzinha:
    Belo exemplo do uso positivo da raiva. Ela também faz, às vezes, as pessoas crescerem.
    Todo ser humano é, no fundo, semelhante, o que muda é a roupagem externa. Foi bom você ter aproveitado essa oportunidade para mudar e crescer.
    beijos

    ResponderExcluir