domingo, 6 de fevereiro de 2011

O Renascimento da Esperança

 

primavera

A Flor se sentiu frustrada tantas vezes

que simplesmente desistiu de certas coisas

a  Flor durante um bom período da

sua vida perdeu a esperança

 

Foi algo quase proposital essa perda

foi uma medida defensiva contra

a frustração.  Como se tudo

o que a Flor fizesse estivesse

fadado ao fracasso.  Então era

melhor não querer nada

 

A Flor se anestesiou da vida

ela sequer parecia sofrer

A Flor escondeu seus sentimentos

dela mesma e não tinha sequer vontade

de voltar a sentir seja o que fosse

 

E a Flor foi seguindo a sua vida

livre da dor e também livre de alegria

A Flor se fechou de tal maneira

que não havia espaço para mais nada

Além de história, geografia, Matemática,

ou qualquer outra matéria escolar

 

Parece melhor assim quando se acredita

que o inverno durará para sempre

e que a primavera nunca chegará

e nunca mais se verá o brilho do sol novamente

 

Dizem que a esperança é a ultima que morre

mas a esperança da Flor havia morrido

E ela continuava suas tarefas do dia a dia

apenas para cumprir tabela.

 

Parece coisa de filme mas o que eu contarei

é real. Um belo dia apareceu alguém

especial na vida da Flor

Alguém que lhe disse que queria

ser seu amigo. E a Flor desconfiou

Mas a insistência dele tornou

impossível a flor persistir duvidando

e a insistência dele fez com que

a Esperança renascesse na vida da Flor

e que chegasse a temporada das Flores

 

( Esse poema é em homenagem há um grande amigo meu que eu encontrei em 2007)

5 comentários:

  1. Mesmo que a escuridão pareça durar uma eternidade, o desabrochar da Flor é um acontecimento certo e natural. Porque, no final, todas as energias buscam resolução e expansão. E a vida pode ser bem melhor e mais divertida do que um filme.

    ResponderExcluir
  2. Seus poemas me emocionam, Lu. E mexem com alguma coisa dentro de mim que está pedindo atenção. Obrigada, tá?

    ResponderExcluir
  3. Luciana, e' incrivel!!!! Mas o que vc descreve no seu poema e'exatamente o que tenho vivenciado no meu dia a dia. Nao sinto vontade de absolutamente nada. Embora tambem nao me sinta mais deprimida do que ja' estivera em outras epocas. Ha' um ano fiz uma cirurgia na minha coluna e tive que reaprender inclusive a andar. Hoje ando normalmente, mas a inquietacao e pressa de viver... tambem se foi.
    Sinto-me tranquila, vivendo dia por dia... Mas embora as pessoas digam que essa letargia seja depressao. Eu digo que e' apreciacao. E' ter percebido que nada precisa ser feito muito rapidamente, porque tudo tem seu tempo...
    Depois da Respiracao de ontem, estou com muita vontade de criar um blog. Ainda nao sei sobre o que escreverei... Mas....
    Fico feliz que vc tenha encontrado um amigo! Aumenta as minhas esperancas de encontrar uma pessoa amiga. Beijos
    Eliane Pisano

    ResponderExcluir
  4. Legal Eliane. Quando fizer seu blog me avise. Vou querer visitá-lo. srsrs

    ResponderExcluir
  5. Olá Luciana querida!
    Muito legal essa metáfora... Gostei mesmo!
    A vida sempre nos surpreende de uma forma ou outra e quando menos esperamos encontramos alguém disposto a cuidar de nosso jardim, regar, cultivá-lo para que as flores não murchem e percam vida. O mais importante nisso tudo é que você desabrochou e se tornou a flor mais bela, de cor mais intensa e viva que poderia existir.
    Parabéns! Continue exalando o seu perfume pelos campos da vida!
    Grande beijo,
    Jackie

    ResponderExcluir