quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Presente para 2012



A Flor durante sua vida

em seu quarto se escondeu

porque haveria de sair?

seu quarto era confortável


E livre de toda a incompreensão

livre da rejeição e da critica

que o mundo lá fora pode oferecer


Mas a Flor sentiu falta

do carinho e da amizade

que também existem lá fora.


A Flor se aventurou então

a pequenos passeios

mas sem nunca ir muito longe

sem perder de vista seu quarto

para que pudesse correr de volta

E a Flor nunca se arriscou a ir muito longe

Ela sempre corria de volta a sua zona de conforto


Para 2012 a  Flore gostaria de se dar um presente

O presente da coragem. Coragem de ir além

Coragem de se afastar mais da sua Zona de conforto

Coragem de viver no mundo real

com todos os seus desafios e riscos

ao invés de apenas sonhar acorda

Coragem de materializar meus desejos

ao invés de ficar apenas na imaginação.












segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Rebeldia Velada




Joana sempre se viu como alguém não rebelde. Até mesmo conformada demais. Afinal ela havia se conformado em não ter amigos, com o fato de que nunca iria se encaixar. Para ela não havia nada a fazer a esse respeito.

No entanto surpreendentemente ela está descobrindo que uma rebeldia velada sempre existiu dentro dela. Velada porque nunca foi explicita. Sempre foi indireta.  Uma rebeldia expressa a partir da recusa a ação e não atraves de queixas ou protestos.

Joana sempre foi como uma criança que após ver que não concordava com as regras das brincadeiras que as outras crianças impusiam a ela simplesmente se retirava, sentava no banco e se recusava a participar. Como se dissesse: Se é assim então eu não quero.

Joana se recusava a aceitar certas coisas.  Como essa coisa de sair beijando um desconhecido só por ser bonitinho. Isso sempre foi algo imcompreensivel para Joana. Assim como era imconpreensivel a ela essa obrigação que todos tinham de ficar com alguem.  Isso é algo pessoal e cada um tem o direito de ficar ou não ficar. Mas parece que se antes havia repressão, agota há imposição. Todo mundo tem de ficar.

Joana não aceitou isso. Joana se recusou a ficar. Mesmo ao preço de ser considerada a estranha ou a careta. Esse é apenas um exemplo. Se Joana fosse tão conformista assim teria se adequado ao que todos atualmente acham o mais adequado.

Rebeldia expressa principalmente pela recusa em viver no mundo real e ao invez disso criar seu proprio mundo e viver exclusivamente nele.

Teria se obrigado a gostar de festas. Porque em um local como o Rio de Janero não gostar é um absurdo, parece até um crime.  E Joana se recusoua seguir essa imposição. Ela não faria nada que não quisesse. Ela se recusou a ir a festas. Estrassem o quanto estrassem.  E assim Joana foi expressando durante sua vida sua rebeldia velada.














sábado, 29 de outubro de 2011

Confortável X Reconpensador




Joana apos um pequeno desentendimento, se fecha em seu quarto e fica refletindo. Porque as pessoas em geral acham tão difícil ficar sozinhas??? Joana não consegue entender isso. Ela acha ficar sozinha tão fácil. Ninguem enche o saco.  Ninguem critica o que ela diz, nem o que ela faz. Sozinha ela se sente mais livre.. Essa é a verdade.


As pessoas são tão complicadas. Ela fala uma coisa entendem outra. Se ela expressa insatisfação acham que ele não quer amizades. Se ela guarda para si está reprimindo e não está sendo espontânea. Que confusão!!!! srsrsrs

E a tentação é realmente grande. A tentação de esquecer essa ideia maluca de ter amizades. E de voltar para o seu quarto. Onde tudo é mais tranquilo. Onde tudo é mais confortável. Mas na verdade não está mais nem um pouco recompensador.  Joana está aprendendo que normalmente o mais confortável não é recompensador.

O reconpensadoer é o desafiante.  E muitas vezes assustador. E é assustador para Joana o relacionamento. É assustador seus altos e baixos.É assustador não saber como agir nem o mais apropriado a dizer.é o sentir que a qualquer momento pode falar algo ou deixar de falar algo que porá tudo a perder. Tudo isso torna os relacionamentos assustadores para Joana. No seu quarto ela não precisá lidar com nada disso.

Mas ela sabe que jamais se sentirá plena ou satisfeita realmente ficando escondida no quarto. Ela agora sente a necessidade de se mostrar e dizer tudo o que tem a dizer. E ela não pode fazer isso escondida. Ela precisa sair. Não importa o quão assustador seja. Ela vai continuar sua jornada ao mundo exterior.

sábado, 22 de outubro de 2011

Milagres

Milagres
A Flor pensava consigo:

 milagres não existem

 Mas o que seria um milagre?

 Seria a multiplicação de pães?

 Talvez!! Mas a Flor descobriu milagres mais significativos


 O milagre que acontece quando você está triste

 e se alegra ao ouvir o canto de um pássaro

 Ou com o gesto de um desconhecido que passou

 Pequenas coisas capazes de mudar por completo seu dia


 E quando alguém faz com que sua esperança renasça

 quando você já havia desistido da vida

 Então o maior milagre acontece

 Pois o renascimento da esperança

 é capaz de mudar toda sia perspectiva e mesmo toda sua vida.

sábado, 15 de outubro de 2011

Pequenas erupções





Nos locais mais longínquos

Mais distantes de sua consciencia

A Flor escondeu toda a sua dor

Toda a sua raiva e magoa

Toda a sua frustração

Toda a sua insatisfação


Como alguém como a Flor

poderia sentir tais coisas?

Como a menina sortuda

com família estruturada

com todas as oportunidades a mão

Poderia ainda assim estar insatisfeita

e ter tantos sentimentos negativos?


A a Flor escutou a voz que lhe dizia

que isso seria muita ingratidão

a Flor se proibiu de olhar

para todos esses sentimentos


Mas eles estavam lá

e se acumulavam dia após dia

como uma lava que não tem como escapar

a não ser atraves de uma erupção


E assim começou a acontecer

sorte da Flor para ele ter conseguido

perceber o sinal das pequenas erupções

Dessa forma grandes estragos não foram feitos


Com essas pequenas erupções a Flor aprendeu

que tais emoções são humanas

e existem em todos independente

do quento se tenha ou não


E agora a Flor não se culpa mais

apenas se obeserva dia apos dia

e toma conscienca do lado escuro

e com isso as erupções diminuem

cada dia mais

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Escutando a Voz Interior


Joana lê algo que a deixa com raiva. Foi-se o tempo em que Joana se culpava por sentir raiva. Joana tem aprendido a se aceitar. Mesmo que ela faça ou sinta coisas consideradas negativas. Nenhuma dessas coisas faz com que Joana mereça se odiar.

Então Joana simplesmente constata que está com raiva. E se permite vivenciar esse sentimento. Não, Joana não saiu por aí dando fora em todo mundo. Uma das coisas que Joana aprendeu foi que vivenciar a raiva não significa maltratar as pessoas. Significa apenas não se enganar. Admitir que está com raiva e não simplesmente fingir que ela não existe.

Mas Joana estava sentindo uma grande necessidade de expressar a sua raiva. E não. Também não é necessário sair dando fora em qualquer pessoa que apareça na frente a fim de expressar tal sentimento. Joana expressou sua raiva de duas maneiras.

Primeiro escreveu para o seu amigo. Desabafou legal, disse-lhe tudo o que estava sentindo. É claro que em situações como essa é preciso saber escolher com quem falar.É preciso escolher pessoas capazes de compreender. Porque quando se está com raiva é inevitável que a forma de falar não seja exatamente doce. srsrs. Se Joana não conhecesse ninguem compreensivo seria mais adequado escrever para ela mesma e depois rasgar o que escreveu para ninguém ler. Como ela já fez algumas vezes. Mas é sempre bom ter alguem para compartilhar bons e maus momentos.

Quando terminou de escrever para o amigo Joana já se sentia melhor. Mas dessa vez foi um sentimento muito intenso. Escrever não foi suficiente. Então ela resolveu seguir a dica de sua falecida terapeuta e bateu na almofada. Alias, Joana não bateu na almofada e sim a espancou.kkkkk. E mesmo a almofada sendo macia ela bateu com tanta força que sua mão chegou a doer. E depois de tudo isso parece que sua raiva foi liberada e ela pode ouvir sua voz interior. E dessa vez mesmo a voz sendo suave Joana ouviu nitidamente.

E essa voz lhe dizia: "Você fez uma escolha, agora confie nela mesmo que pareça que tal escolha não vai se concretizar, mesmo que não aconteça no tempo que você gostaria." E ao ouvir isso Joana se tranquilizou e se sentiu pronta para continuar sua Jornada.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Seja Espontânia!!




Quando o mais recente amigo de Joana entrou no quarto dela uma das primeiras sugestões que fez a Joana foi: "Seja espontânea!" Mas joana não poderia seguir essa sugestão. Afinal é complicado seguir uma dica como essa quando se tem a convicção de que ser quem você é é uma desvantagem..

Joana não conseguia ver como ser espontânea poderia beneficiá-la. De fato se lembrava de muitos momentos em que parecia que ser espontânea a havia prejudicado. Joana se convenceu de que o que mais a prejudicava era justamente o fato dela ser quem é. Como alguém pode ser espontâneo com esse tipo de crença? Realmente não dá! Não quando a pessoa acredita firmemente que nunca será amada como ela é.

Ela se lembrava do colégio. Das zoações aparentimente sem motivo. E se ela não dava motivos a razão só podia ser ela ser quem ela é. Se tudo o que ela despertava eram preocupações. E o que ela mais ouvia era criticas, se ela não se lembrava de ouvir um unico elogio o problema estava em ela ser quem é.

Joana chegou a uma conclusão trágica: Ser ele mesma era uma desvantagem, a causa dos seus problemas!!! E alguem dizia a ela: seja espontânea! Era um disparate. A coisa mais absurda que Joana já ouviu.

Ela se convenceu de que seu amigo só dizia isso porque não a conhecia direito. Nem a ela, nem a sua vida. Então Joana tentou mostrar ao amigo que ele estava enganado. Contou a ele sobre todas as vezes em que ela foi rejeitada exatamente por ser espontânea. Mas ele estava irredutível e Joana percebeu rapidamente que nada seria capaz de convence-lo. Mas Joana não entendia como o amigo poderia insistir com isso mesmo depois de conhecer detalhes da sua historia.

Apenas uma coisa foi capaz de convencer Joana a ser espontânea. Foi perceber que ao não mostrar aos aos outros sua verdadeira face, as pessoas em relidade não se relacionavam com ela. Se relacionavam com uma mascara, som alguém que não era real, que não existia de fato. E que mesmo que ela encontrasse pessoas que gostavam dela, não seria dela que as pessoas estariam gostando e sim de uma pessoa inventada que era tudo menos ela.

E foi então que Joana percebeu que a maioria das rejeições que sofreu não foi por ser ela mesma. Não, não foi esse o motivo. Afinal ela tinha tomado essa decisão a muito tempo atrás quando ainda era criança. E baseada em situações isoladas que foram generalizadas. E apartir dessas situações em que não foi aceita por ser espontânea ela concluiu que o problema era ela e passou a ter medo de ser ela mesma em todas as situções.

Mas não é bem assim. Porque a verdade é que ninguém é aceito por unanimidade. Mas se a pessoa for ela mesma pelo menos saberá que quem está com ela, quem escolhe compartihar um pouco da sua vida com ela é realmente com ela que tal pessoa está e não com uma mascara.

Além do mais o mais importante é a pessoa aprender a se aceitar. Essa foi outra coisa que Joana aprendeu. A se aceitar e a ser sua melhor amiga. Dessa forma a rejeição dos outros não afeta tanto. E quando ela começou a conseguir colacar isso em pratica o ser espontânea deixou de ser um disparate e então como mágica pessoas que a valorizam começaram a aparecer na sua vida!!

sábado, 3 de setembro de 2011

Joana e a Flor





Era tarde de sol. Joana resolveu dar uma volta. Não havia nada interessante para ela fazer em casa. Antes de sair de casa deu uma olhada no jardim... Havia muitas fores. Todas muito bonitas. A maioria delas já estava bem crescida. Mas em meio a todas aquelas flores já crescidas havia uma pequena rosa, tão pequena que provavelmente mal havia acabo de nascer. E certamente nem todos seriam capazes de ver essa flor apenas um observador atento veria.

E então Joana viu que essa flor era uma metáfora. A flor era ela. Nem todos eram capazes de realmente ve-la. Talvez seuas conquistas fossem pequenas demais para que alguém a visse. Talvez Joana tenha tido realmente poucas experiencias para compartilhar. Não importa se Joana olha para direita, para esquerda, para frente, ou para tras. Parece que todos são mais visíveis que ela.

Joana então decide se aproximar da Flor. abaixa-se e sente o seu perfume. E acha que é o melhor perfume que ela alguma vez já sentiu. Então viu que a Flor contribui para a beleza e odor do local independente de ser vista ou não.

E assim era Joana. Ela só precisava apreciar a própria beleza assim como apreciou essa pequena e bela flor. Enquanto joana conseguir se apreciar , ela estará bem. E em paz foi passear.

sábado, 20 de agosto de 2011

Se Aventurando no Mundo Exterior



Depois de se aventurar pela internet e de ter tidos altos e baixos nela Joana decidiu que já era hora de não ficar apanas na internet. Decidiu então partir para a aventura no mundo real. Porém havia um pequeno problema. Ela não tinha com quem fazer isso... Seus amigos eram praticamente todos virtuais. Seus melhores amigos eram virtuais. E moravam em outra cidade.

Joana até tentou convidar os poucos amigos virtuais que moravam perto dela. Mas parece que ninguem podia. Quando conseguia marca algo acontecia e a pessoa desmarcava. Será que ninguem queria sair com ela? Pensou. Talvez não fosse o momento talvez ele precisasse de um pouco mais de isolamento para descobrir mais sobre si mesma antes de rt para o mundo exterior.

E Joana fez isso embora a vontade de ir ao mundo exterior crescesse dentro dela e não conseguir sair do seu quarto a frustrava um pouco. Afinal Joana estava começando a ver que poderia ser legal se aventurar pelo mundo, conhecer pessoas, fazer amizades, mas parecia estar impedida.

E demorou um tempo para surgir as primeiras oportunidades de amizades reais. E Joana se espantou com o fato de que as pessoas gostaram dela. Parece que ela não acreditava em sua própria simpatia. Joana ainda está asindo pouco mas ela percebe que não é incapaz de fazer amizades, que fazer parte da vida de outra pessoa não é uma impossibilidade. Joana ainda não está tão inserida no mundo real como gostaria. Mas está mais so que acreditava. Até porque ela não acreditava que um dia realmente pudesse fazer parte do mundo real. Então o que Joana conseguiu já está além de suas expectativas e mesmo das expectativas de muita gente que a conheceu. E assim a medida que Joana conquista confiança em si mesma mais ela se insere no mundo real.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Escondendo a Beleza

beleza

 

Há muito tempo a Flor decidiu

iria esconder sua parte mais bela

sua parte mais preciosa. Não podia

deixa-la a mostra… Era perigoso!!1

 

Se outros vissem sua beleza

seus talentos únicos

surgiria a expectativa. E com ela

a queda no desempenho. Pois A Flor

nunca funcionou bem sob pressão

e ela não poderia conviver com

a obrigação de ter êxito

 

Não!!! Melhor que não esperassem nada

melhor que a vissem como incapaz

e assim a Flor escondeu tudo

o que existia de melhor dentro de si mesma

e espalhou ao mundo uma mentira

a mentira de que era incapaz de viver sozinha..

 

E fez isso tão bem que a mentira

se tornou verdade até para ela mesma

seu melhor estava tão escondido que

nem a própria Flor conseguia ver…

E as Flor passou a acreditar na mentira

que ela mesma inventou

 

Mas o que brilha não pode ser

escondido para sempre. O que brilha

arruma uma maneira de sair e ser visto

E  é isso que está acontecendo com a Flor

que remoça a enxergar a própria beleza.

sábado, 6 de agosto de 2011

A raiva que moveu Joana

raiva

 

Joana começa a postar na internet. Começa a se expor mais. Começa a fazer amizades virtuais. Muitas apenas superficiais. Mas algumas bem verdadeiras. E então nesse processo ela encontra a Daniela. E elas se tornam grandes amigas. Daniela também está passando por mudanças significativas em sua vida. E então elas passam a compartilhar o processo.

Juntas elas até fazem uma comunidade. Que no começo foi ótima. No entanto a amizade de Joana e Daniela passou por uma crise. Ambas estavam em fases diferentes. Com visões de vida totalmente diferentes. E essas fazes se conflitaram. E a amizade foi abalada e Joana ficou profundamente magoada. A ponto de não querer ver ou falar com a amiga. E como resultado disso a comunidade acabou.

Joana então foi tentada a voltar a trancar a porta do seu quarto, a mais uma vez não permitir que ninguém entrasse. Não parecia valer a pena. Não parecia que se aventurar fora do quarto tinha trazido algo de bom em sua vida.

Mas Joana já estava diferente. Em pouco tempo percebeu que ela não voltaria a ser como antes. Não tinha mais como.  Joana não reagiu a esse conflito se retraindo, como havia feito em toda a sua vida. Não!!! Dessa vez ela ficou com raiva.

Uma raiva tão grande que a moveu. Essa raiva foi o que impediu mais uma retração de Joana. Agora não tinha mais jeito ela iria continuar se expondo.  A raiva pela primeira vez havia superado o medo que a levava a retração. Joana não estava sequer se reconhecendo ´porque a atitude que ela estava tendo era bem diferente da habitual.

Ao invés de se retrair Joana se expos mais. Em sua raiva ela pensava: “não vou deixar de fazer o que sinto vontade por causa de ninguém”. Etendam que esse não era um pensamento típico de Joana. Foi preciso muita raiva para ela chegar a pensar isso.

Joana começou a participar ativamente de outras comunidades. E até fez um blog. Que para sua surpresa muita gente gostou. E até se identificou. Joana não esperava pois se achava tão diferente que achava que ninguém se identificaria com algo que ela escrevesse. Mas Joana percebeu que mesmo pessoas aparentemente bem diferentes dela se identificavam. Joana então viu que as pessoas em geral são até bastante parecidas. O que muda não são os sentimentos emoções. Não existe pessoa que nunca sinta medo, ansiedade, insegurança… O que muda é apenas a maneira de lidar com essas emoções.

Nesse período esse foi o principal aprendizado de Joana. Com o tempo Daniela e Joana se encontraram e voltaram a se entender. Se tornaram novamente grandes amigas. E Joana percebeu que essa briga foi na realidade uma benção. Pois através dela que Joana conseguiu reunir a coragem para se expor mais. Além do fato de não ter perdido nada na realidade, afinal a amizade não acabou apenas se tornou mais forte.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Rua da Incerteza

incerteza

 

A Flor está no limite

em mais uma daquelas ruas

que parecem sem saída..

 

Indo por um caminho

o qual não tem certeza

se a levará onde ela gostaria..

 

A Flor sempre gostou da segurança

mas agora caminha na rua da incerteza

uma rua que a Flor nem consegue ver

se é realmente sem saída

 

Quando algo parece ao seu alcance

esse algo parece se afastar

e fugir da Flor. E por mais perto

que esteja parece inalcançável.

 

Como se estivesse a um palmo da Flor

mas quando a Flor anda um palmo

esse algo também anda um palmo

 

Como uma distancia que se mantem

constante por mais que a Flor ande

sem saber se haverá mesmo um dia

em que a distancia será eliminada

mas ainda assim a Flor

caminha com esperança

na rua da incerteza…

terça-feira, 12 de julho de 2011

Se Abrindo no Virtual

Mundo-virtual

 

Depois de muito conversar com seu novo amigo, alias novo e único. Sim, era a primeira vez que Joana sentia o gostinho de uma amizade. Era a primeira vez que ela se sentia a vontade o suficiente para falar de suas esperanças, seus medos, suas dores. Enfim de todas as coisas que se passavam em seu interior.

Era a primeira vez que alguém entrara em seu mundo e mais que isso , era a primeira vez que alguém parecia apreciar  o seu mundo. Isso era algo que Joana acreditava que nunca iria acontecer.

Mas quando ela conversou e permitiu a entrada desse amigo aconteceu então ela concluiu: “Meu mundo não deve ser tão pobre assim, devo ter algo a acrescentar. Talvez outras pessoas gostem.”

E assim ela conseguiu reunir coragem o suficiente para sair um pouco e se aventurar a mostrar seu mundo para outras pessoas. No entanto ainda havia muito receio dentro dela. Ela queria se sentir pelo menos um pouco segura. Como faria isso? Tudo seria novo demais e Joana tinha medo de não aguentar…

Então ela teve uma ideia:  “Farei pela internet é uma forma de eu me conectar com as pessoas sem sair de repente da segurança do meu quarto.”

E assim Joana começou a utilizar mais o seu orkut. Ao invés de usa-lo apenas para ler. Joana começou a postar sua opinião nas comunidades. Escrevia pouco é verdade porque ela sabia dizer o que queria em poucas palavras.

No entanto, para sua surpresa, as pessoas liam o que ela escrevia, e até comentavam. Pode parecer incrível mas Joana não acreditava que isso iria acontecer. Joana sempre subestimou o seu impacto. Joana achou que não iria chamar atenção de ninguém. Mas algumas pessoas até a adicionaram no MSN.

E assim ela começou suas primeiras amizades virtuais. Sim, porque nem mesmo amizades virtuais ela tinha. Já que não se expunha nem mesmo pela internet.

Algumas dessas amizades foram muito temporárias. Mas outras ficaram e enriqueceram muito sua vida. principalmente sua amiga Daniela com quem ela tem contato até hoje.

Nem tudo foram flores> Houveram algumas confusões e desentendimentos. E para estes parece que Joana não estava preparada. A cada mal entendido ela pensava que talvez fosse melhor voltar para toca.

Mas Joana não conseguia mais. Simplesmente não conseguia mais viver como antes. E ela se sentiu quase que obrigada a continuar..

Mas esses desentendimentos e essa vontade de desistir ficarão para a próxima historia…

domingo, 3 de julho de 2011

O Visitante

Amizade_420210141_083_amizade

Apesar de Joana te-lo deixado entrar em seu quarto. Ela ainda desconfiava. Porque alguém iria querer entrar e conhecer o quarto dela? Era tão simples…. Não havia nada de especial nele.

Alias Joana até mesmo acreditava que sei quarto era muito mais pobre que os outros. Mas esse sei recente amigo parecia discordar. Ele vivia dizendo que o quarto era fantástico.

Joana estava perplexa. Como assim??? Não ele não devia estar vendo direito. Joana começou a sentir um forte medo. A qualquer momento ele poderia ver que o quarto era medíocre e decidir sair dele para nunca mais voltar.

Joana não queria isso. Ela estava gostando de ter alguém para falar sobre as coisas. Sobre suas dores. No começo a conversa foi praticamente sobre as dores. Não era agradável, mas Joana nunca tinha feito isso. Precisava colocar para fora. E ele demonstrava uma compreensão que Joana não sabia que existia.

Então esse novo amigo era alguém que ela não podia perder. Joana sentiu um impulso quase incontrolável de fazer algo para que ele não saísse.

Ela utilisou táticas contraditórias. Ora falava mal de si mesma e do seu quarto para diminuir o choque da decepção que para Joana parecia inevitável. Uma hora ele iria descobrir que ele não era maravilhosa.

Ora tentava impressiona-lo com sua dedicação. Essas duas estratégias a deixavam sem saber como agir…. E no final das contas eram totalmente desnecessárias porque ele já gostava dela independente do que ela fazia. Joana demorou a perceber isso.

Quando começou a perceber isso lhe deu uma nova força. Foi então que Joana decidiu que iria se expor mais.

Mas isso já é uma outra história….

sábado, 2 de julho de 2011

A Prisão de Joana

 

Antes de fazer a postagem de hoje. Gostaria de comunicar a todas os leitores do meu blog o seguinte: Eu fiquei um tempo sem poder postar devido a vários motivos. E durante esse tempo vi que algo mudou em mim e minha expressão se expandiu. Então manterei o nome do blog e o endereço pois ele já é conhecido por muitas pessoas. Mas a partir de hoje o blog não conterá apenas poesias. As vezes postarei também contos… E com o tempo poderão haver outras mudanças. Esse blog é o meu espaço para me expressar. E esse espaço assim como eu é mutável…

Então vamos ao Primeiro conto que fiz.

prisao

A Prisão de Joana

Joana vivia meio enclausurada., assim como a rapunzel. Embora ela não estivesse no alto de uma torre. Nem em uma prisão material.
Mas ela estava presa. Presa pelo medo que ela tinha de viver. Medo de não ser capaz de lidar com alguma experiência que viesse.
Por isso ao invés de viver Joana lia. Lia varias coisas. Historia de ficção pois parecia que ela vivia através dos personagens. Era uma maneira segura de "viver". Lia sobre assuntos da ciência. Joana era curiosa e as novas descobertas cientificas de certa forma satisfaziam sua curiosidade. ouvia musica e assim conseguia entrar em contato com seus sentimentos.


E o melhor de tudo é que ela podia fazer isso no quarto dela. Lá não haveria ninguém para criticar qualquer coisa que ela fizesse. Lá ninguém enchia o seu saco falando que ela deveria sair mais. Sair mais para que? Para ficar sem assunto? Sim porque ninguém mais se interessava pelo o que ela se interessava. As pessoas não gostavam do papo dela e ela não gostavas do papo das pessoas.
E Joana aprendeu a tirar o máximo de satisfação vivendo em seu quarto. Ela não sentia como se estivesse perdendo algo. Se ela saísse sofreria muito. Estava convicta disso.
Um dia alguém bateu em sua porta e pediu para entrar. Joana se espantou. Nunca ninguém tinha demonstrado interesse de entrar em seu quarto. Apenas seus pais queriam a todo custo que ela saísse. Mas nem eles se interessaram em entrar.

Joana desconfiou. Para que ele quer entrar? Porque o interesse. Ela hesitou mas a insistência foi tanto que ela permitiu a entrada dele.
E ele começou a conversar com Joana. E disse que ela poderia lidar com qualquer coisa fora do quarto. E com o tempo ela acabou acreditando. E agora está saindo do quarto.
Muitas pessoas lhe gritaram exatamente isso do lado de fora. Mas Joana acreditou apenas na única pessoa que se interessou a entrar no seu quarto.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

O Amanhecer

Um dia a Flor

Olhou a Janela

e viu um sol claro

No entanto ao olhar

para dentro da sua

alma viu nuvens

e ventos que anunciavam

uma grande tempestade


E viu que siua vida interior

era bem diferente da exterior

a aparente calma escondia

agitação, o aparente

comformismo e resignação

escondia desesperança


O dia estava claro

mas em sua alma havia

uma noite escura


E essa noite foi

em realidade uma benção

porque ela era um prenuncio

de um novo amanhacer

como uma nova era nascendo

na vida da Flor


E a Flor sabia

que tudo mudaria em sua vida

Agora já não há tantas

nuven. é o começo do Amanhecer

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Romance?




 

Para que romance?

a flor pensa

Para que colocar

sua felicidade nas

mãos de outra pessoa?

 

Não vivo sem você

é o que os apaixonados dizem

e a Flor considera isso loucura

 

Para que ela entraria em um romance?

Para ter de aturar crises de ciúme?

Para ser controlada?

Para ter mais um problema?

 

Nem todos os relacionamentos são assim

dizem a Flor!!! E ela concorda

Ao menos racionalmente

Mas ao sentir  a Flor

sente: romance é se perder

de si mesma!!! E por mais

irracional que seja é o

que ela se sente no momento

 

Existirá alguém capaz de mudar

a visão da  Flor? Alguém capaz

de derrubar suas defesas?

Talvez sim, talvez não

no momento como a musica diz

a Flor prefere continuar distante!!!

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Alma Trancada

alma trancada

 

Hoje a Flor percebe

o quanto trancou sua alma

ela cumpria seus compromissos

rigorosamente mas sua alma

não estava presente

 

Não havia sentimento no que fazia

nem mesmo entusiasmo….

Claro que a Flor tinha sentimentos

apenas não ousava expressa-los

 

Se estava triste a ninguém contava

a não ser quando não dava mais

para segurar e falava em meio

a uma crise de choro…

 

Se admirava alguém também

não falava e a pessoa só saberia

se descobrisse por si mesma

 

Todos os seus sentimentos

estavam escondidos e trancados

no fundo de sua alma..

Mas parece que a alma cansou

de se esconder e os sentimentos

estão saindo do esconderijo

 

E a  Flor está descobrindo

o quanto é recompensador

sentir… sentir tudo

seja bom ou seja ruim..

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Querida Irritação

bebe-irritado

Querida Irritação

eu, A Flor, estou lhe escrevendo agora,

Gostaria de lhe agradecer

E dizer que es a bençoada

 

Obrigada por me empurrar

a uma ação, a alguma decisão

e me ajudar a não focar tão

paralisada pelo medo

 

Obrigada por me fazer participar

mais da vida e ser menos expectadora

obrigada por me ajudar a correr risco

seja o rico de perder uma amizade

ou de tomar uma decisão errada

 

Obrigada por me fazer ver que

correr esse risco torna a amizade

mais plena e que tomar uma decisão

“errada” é melhor que não tomar nenhuma

 

Pois uma amizade só é verdadeira

quando a pessoa gosta de você apesar

apesar de suas eventuais crises

claro que as crises devem ser eventuais

se não não ha quem agüente…

 

Obrigada  por me fazer enxergar

que mesmo que eu me arrependa

de uma decisão fico mais satisfeita

ao toma-la do que ao me estagnar

por medo de errar….

 

Enfim querida irritação

Eu a abençoou pois sem duvida

estas abençoando minha vida!!!

segunda-feira, 9 de maio de 2011

O Isolamento

 

isolamento

A Flor conheceu durante sua vida

tudo de bom e tudo de ruim

que a solidão pode lhe oferecer..

 

Sim a solidão tem seu lado bom

deu a Flor a capacidade de se

divertir sozinha, de não depender

da companhia do outro o tempo todo

 

O ruim é quando a pessoa

sente falta de alguem para compartilhar

e de alguem para lhe ouvir

 

Agora a Flor está entrando em

um mundo novo: O mundo da amizade

um mundo que a Flor sempre

quiz conhecer. E ela não esperava

encontrar tantos desafios..

 

Ela nunca se doou tanto

no entanto há quem ache pouco

ela nunca se abriu tanto

no entanto há quem ache pouco

ela nunca se interessou tanto

no entanto há quem ache pouco

 

Não importa o que a Flor faça

não é o suficiente… Ou assim parece

e são nesses momentos que a Flor

é tentada, que a Flor lembra

dos beneficios dividosos

do isolamento total

 

Como por exemplo, não ser cobrada

como por exemplo, não ser

mal imterpretada. Não correr o risco

de dizer uma coisa e a pessoa

entender algo completamente diferente

 

Não ser obrigada a falar mesmo

sem vontade e sem ter o que falar

porque obviamente isso é uma prova

de falta de interesse.

 

É, a vida isolada parece bem

mais tranquila e segura

Mas nem sempre a busca

por segurança traz satisfação

se que alguma vez traz. Então

a Flor insiste, mesmo no desconforto

e mesmo no desconforto ela

fica mais satisfeita com si mesma

quarta-feira, 27 de abril de 2011

A Coadjuvante

coadjuvante

 

O que a Flor sente?

Quais são suas opiniões?

Será que ela concorda com o colega?

O que será que ela discorda

do que o colega diz?

 

Bom, isso era um mistério…

Coisas que a Flor não

ousava falar. Para que afinal?

Quem se comportaria?

 

E assim a Flor seguia

sendo coadjuvante

de sua própria vida

 

O que ela sentia e pensava

Não era importante.

O importante era o outro

O que o outro sentia

e o que o outro pensava

 

E assim para agradar o outro

ela traia a si mesma

a ponto de nem ou menos

saber disso. Já que

a Flor era uma desconhecida

para ela mesma

 

Felizmente veio a chuva

que com o seu vento

a fez acordar. Um vento

meio incomodo

Mas que a fez abrir os olhos

para o seu interior

e a fez enxergar

que o mais importante

é fiel a si mesma!!!!

sábado, 23 de abril de 2011

Vídeo que fiz

Algumas musicas parecem que foram feitas para mim. Essa é uma delas. Quando eu a ouvi pela primeira vez senti como se a musica falasse a minha historia. Porque é exatamente o que diz a musica que está acontecendo comigo. Por isso fiz meu primeiro vídeo com essa musica. Vou colocar o vídeo e depois a tradução



Agora a Tradução:

Eu sempre fui um tipo de garota
Que escondia meu rosto
Com medo de dizer para o mundo
O que eu tenho que dizer
Mas eu tenho esse sonho
Bem dentro de mim
Eu vou mostrar isso, essa é a hora
De deixar você saber
De deixar você saber

(Refrão)

Isso é real
Essa sou eu
Eu estou exatamente onde eu deveria estar, agora
Deixe a Luz
Brilhar em mim
Agora encontrei quem eu sou não há nada que possa me prender
Chega de esconder quem eu quero ser
Essa sou eu

Você sabe como é
Sentir-se em meio a escuridão
Sonhar com uma vida
Onde você é uma estrela brilhante
Mesmo parecendo
que isso está longe demais,
Eu tenho que acreditar em mim mesma,
É a única maneira.

(Refrão)

Isso é real
Essa sou eu
Eu estou exatamente onde eu deveria estar, agora
Deixe a Luz
Brilhar em mim
Agora eu encontrei quem eu sou
Não há nada que possa me prender
Chega de esconder quem eu quero ser
Essa sou eu

[Joe]

Você é a voz que eu escuto na minha cabeça
A razão porque eu estou cantando
Eu preciso te encontrar, eu tenho que te encontrar
Você é a parte perdida que eu preciso,
A música dentro de mim,
Eu preciso te encontrar

[Joe e Demi]

Eu tenho que encontrar você

[Demi]

Isso é real
Essa sou eu

[Demi e Joe]
Eu estou exatamente onde eu deveria estar, agora
Deixe a Luz brilhar em mim
Agora eu encontrei quem eu sou
Não há nada que possa me prender
Chega de esconder quem eu quero ser

[Demi]

Essa sou eu

[Joe]

Você é a parte perdida que eu preciso,
a música dentro de mim

[Demi]

Essa sou eu

[Joe]

Você é a voz que eu escuto na minha cabeça
A razão porque eu estou cantando

[Demi e Joe]

Agora eu encontrei quem eu sou
Não há nada que possa me prender
Chega de esconder quem eu quero ser
Essa sou eu

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Disposta a Tudo!!

Como-estou-me-sentindo-Hoje

 

No fundo da alma da Flor

havia uma dor

algo profundo e constante

 

Mas ela estava tão acostumada

simplesmente não importava mais

se alguém lhe perguntava

como está querida? A Flor respondia

estou perfeitamente bem!!

 

Que adiantaria falar com alguém

algo que nem ela mesma entendia?

apenas reforçaria a preocupação

de todos a sua volta

para que reforçar isso?

A Flor está bem. Nunca esteve melhor

 

Mas a dor não se manteve constante

ela aumentou com o tempo

até se tornar insuportável

até ela não ter outra escolha

a não ser estar disposta a fazer

o que fosse preciso para

aquilo parar…

 

Quando a Flor encontrou alguém

disposto a ajuda-la não importava

não importava o quão desagrave

a verdade sobre si fosse

nem o quão irritada ela ficaria

a Flor estava disposta a tudo!!!

segunda-feira, 18 de abril de 2011

A oração

oração

 

Era cerca de 1998

A flor estava com alguns colegas

a caminho de um mercado.

No caminho foi avistada uma Igreja

 

A Flor e suas colegas entraram

Suas colegas aproveitaram para orar

A Flor não era religiosa, nem mesmo

pensava em Deus. Mas já que estava lá

ela se ajoelhou e fez a oração mais sincera

de toda a sua vida. Ela abriu seu coração

sem saber se alguém ou algo

realmente estava lhe ouvindo

 

E de todo o seu coração disse mentalmente:

“Deus sei que o mundo está uma confusão

e que eu tenho muito mais do que a maioria

Nas se puder, por favor me envie um amigo,

alguém que realmente me aceite e me entenda

se puder me atender tudo o que eu peço

é um amigo com quem eu possa contar”

 

E a Flor seguiu a sua vida e esqueceu

por completo da oração que tinha feito

e a Flor já havia desistido

certamente Deus tinha problemas

mais urgentes a resolver…

 

No entanto cerca de dez anos depois

heuns que aparece alguém

que muda por completo sua visão

que muda por completo sua vida

e com o tempo ela percebe

essa pessoa é a resposta a sua oração

essa pessoa a fez ver que

é ela mesma quem cria seu destino..

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Respeitar o próprio ritmo

 

caminhada

E a Flor segue em seu caminhar

E ela está sempre caminhando

embora as vezes tenha a

impressão de estar parada

 

Afinal ela já não teria

repetido atitudes que a levam

a se sentir mal vezes o suficiente?

Porque ela repeti isso??

é masoquismo??? Talvez seja!

 

No entanto é masoquismo

ainda maior não respeitar

o próprio ritmo, se condenar

por coisas que se acredita

que se deveria ter feito!!

 

Determinar um momento

para resultados aparecerem

e achar que fez algo errado

coso eles não apreçam

é mais do que um capricho

é desrespeitar o próprio ritmo

e portanto é desrespeitar a si mesmo!!!

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Aspectos

aspectos

 

A Flor costuma temer

os aspectos destrutivos

que havia dentro de si.

E isso a levava a negação

de muitos sentimentos

que haviam em seu interior.

 

A Flor não percebia que fazer isso

é o resultado de uma falta

de auto confiança. A final

o que ó que estava dizendo era:

“A destrutividade é mais forte

do que eu e do que minha vontade

se eu não reprimi-la serei

dominada e farei um monte de besteira”

 

E assim sem perceber a Flor

dava poder a destrituvidade

e tirava de si mesma.

No fundo ela achava

as emoções e impulsos mais fortes

que ela mesma.

 

No entanto um dia ela descobriu

esses aspectos eram apenas parte dela

e não a Flor como um todo

E que ela podia ver esses aspectos

e ainda assim não reagir como eles mandam

 

A Flor descobriu que esses aspectos

não precisam ter dominio sobre ela

que ela pode ter domínio sobre eles

e assim ela descobriu que os aspectos

não são mais fortes que ela!

quinta-feira, 31 de março de 2011

Sensação de despreparo

1267535281_75428170_1-Preparacao-para-as-Provas-de-Afericao-4-e-6-Ano-Queluz-1267535281

 

A Flor possuem uma mania

A mania de se preparar

e adiar a ação

até que ela sinta

que agora sim realmente

está preparada

 

E se sentir preparada

é algo que normalmente

não a acontece a ela

Por isso, ela não vivia

exatamente uma vida

ela vivia uma vida em preparação..

 

Sim, vivia. á passado mesmo

pois apesar da sensação

de estar despreparada ainda

existir no interior da Flor

Ela não espera mais

essa sensação ir embora para agir

 

Bem, não exatamente 100% do tempo

é algo que ela começou a fazer

e está aumentando a freqüência..

 

E então a Flor tem percebido algo

ao agir mesmo se sentindo despreparada

ela acaba se surpreendendo e descobrindo

o quanto é capaz. Claro é preciso

fazer isso sem desistir fácil…

 

Mas se a Flor não agir nunca

ela apenas reforça e aumenta

sua sensação de despreparo

quinta-feira, 24 de março de 2011

Diamantes preciosos

Diamante

 

A Flor aprendeu

embora as vezes esqueça

que todos nós somos

diamantes valiosos

 

Alguns estão afundados

na lama, e sua aparência externa,

não lembra nem de longe

um diamante valioso

 

Mas a lama é apenas

a camada externa.

E algumas vezes ela é tão espessa

que não dá para ver um diamante

 

Mas afundado na lama ou não

um diamante é um diamante

a lama não muda a natureza do diamante

 

Alguns diamantes, assim como a Flor,

saíram da lama e estão em processo

de limpeza. E nesse processo

sua beleza começa a aparecer

para os outros e para si mesma

 

Algumas vezes a lama está tão

grudada que é difícil retira-la

mas não importa a dificuldade

A Flor está decidia a limpar

e mostrar a si mesma e aos outros

o diamante que verdadeira mente é.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Ponto de Vista

ponto-vista-002

 

E a Jornada da Flor continua

coms eus erros e acertos

altos e baixos indo de

um extremo ao outro

 

A Flor decidiu nao mais

se curvar as opiniões alheias

apenas para menter amizades

 

Será que ela se tornou radical demais?

Não sei. Não conheço essa resposta

talvez tenha ido de um extremo ao

outro como em todo o resto

 

Talvez ela não considere o outro

como lhe disseram um dia

mas não é assim que a Flor se sente

 

A Flor apenas não se sente obrigada a

concordar com o outro

Não se sente obrigada a mudar

de opinião só porque outra

pessoa acha melhor

 

Assim como a Flor não obriga ninguém

a concordar com ela.  Cada um ve

a vida de uma maneira. E é preciso

respeitar isso. O ponto de vista

de cada pessoa.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Hora de ser Vista

 

se esconder

Um dia a Flor vê uma foto

dessas antigas de quando

ela tinha uns 7 anos

Nessa foto a Flor está escondida

atrás do sofá. Só de vê

do nariz para cima

 

Foto que mostra como a Flor

agia na vida de um modo geral

se escondendo. Nunca mostrando

ao que veio. Agindo como se

sua opinião não fosse importante

não merecesse ser levada em conta

 

Agindo como se tivesse mais

do que merecesse e se sentindo culpada

por ter o que tem. Como se não tivesse

o direito de ter tanto.

 

E sentindo –se culpada. Afinal

como ela poderia estar insatisfeita?

quando parece ter mais que

a maioria que vive no planeta?

 

Mas agora a Flor cansou de se esconder

ela saiu de trás do sofá.

A  Flor está se permitindo ser vista

Chega de ser invisível

 

Agora é hora se ser vista

e parar de se sentir culpada

pelo simples fato de querer

ser realizada e feliz.

domingo, 6 de março de 2011

O Pendulo

pendulo

E a vida da Flor segue

e ela que sempre esteve

em um extremo do pêndulo

subitamente o pendulo é solto

 

E em um movimento natural

o pêndulo vai para a extremidade

oposta. A flor que se conformou

com uma vida sem valorização

nem externa nem interna

começa a conhecer o outro lado

 

Como reflexo de sua busca interior

a valorização interna surge

a valorização externa vem em seguida

 

E então a Flor percebe algo

ser valorizada é possível

Uma descoberta que a enche

de alegria e das qual ela gosta

 

Mas parece gostar ao ponto

de se viciar e apesar de saber

que a verdadeira valorização é interna

ela de repente se vê em uma busca externa

desesperada em que qualquer mínima

critica a  abala  como se agora

ela quisesse apenas valorização

 

A Flor sabe que isso não é possível

a única valorização importante

é a interna.  Mas a Flor não se condena

apenas observa. Esse é o movimento

natural do pendulo. Que irá balançar

até que encontre o equilíbrio

e fique novamente centrado.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Selo de Qualidade

Olá pessoal,

 

Hoje não vou escrever um poema. Estou escrevendo para dizer que estou muito feliz pois acabo de receber um selo de qualidade. Eu comecei esse blog sem nenhuma pretenção e apesar de não ser prioridade fganhar selos de qualidade. é muito bom ser reconhecida. Agradeço a minha amiga Vera pela homenagem.

 

selodequalidade

 

Agora falarei um pouco sobre mim:

 

1) Sempre fui uma pessoa reservada e não me abro facilmente. Agora que estou conseguindo me abrir mais com alguns amigos.

2) Era o tipo de aluna que os colegas costumavam chamar de Nerd e CDF no colégio. A Verdade é que apesar de gostar de estudar os estudos também eram minha figa.

3) Tinha um medo enorme de sentir. Achava que eram os sentimentos e as emoções que estragavam minha vida.

4) Hoje tenho um blog de poesias. A ironia é que alguns anos atrás eu detestava poemas. Achava que não levava jeito para isso.

5) Vivi a maior parte da minha vida com um intenso sentimento de incapacidade. E foi só depois que entrei em um caminho de auto conhecimento que esse sentimento começou a mudar

6) Sempre tive a tendência de observar muito e vivenciar pouco. Agora estou me arriscando a sair do campo teórico e viver mais.

7) Tinha muito medo da critica. por isso jamais imaginei que teria dois blogs.

8) Meus blogs fazem eu me sentir mais próxima de mim mesma

9) Meus blogs  me ajudam a entrar em contato com meus sentimentos

10) Meus blogs me fizeram perceber que não sou tão diferente como pensava

 

Agora vou homenagiar outros blogs excelentes:

 

A despertante: http://despertadordavida.blogspot.com/ Essee blog fala das descobertas de uma pessoa que está desobrindo o seu verdadeito Eu.

 

Exoansão de Consciencia: http://expandiraconsciencia.blogspot.com/ Outro blog excelente com varios ensinamentos que nos ajudam a expandir nossa consciencia.

 

Rascunhos esquecidos: http://carlitodirgel.blogspot.com/ O blog de um amigos com textos que detonam muita sensibilidade.

 

Mais uma vez agradeço pela homenagem!!!

sábado, 26 de fevereiro de 2011

O aspecto Ferido

ferido

 

Em meio a nova aventura da Flor

a aventura de se relacionar

e não mais se isolar

há uma voz que insiste em lhe falar

 

Porque insistes com isso?

Não vês que com estás preparando

o terreno para ser machucada novamente?

 

A Flor simplesmente escuta as indagações

e pergunta a voz: Quem é você e porque

afirma isso? E então a voz responde:

Eu sou seu aspecto ferido

Eu sou a menina problemática

a que não sabe se defender

aquela que você sempre considerou

a fraca exatamente por não se defender.

 

Então a Flor responde a voz:

Não. Isso era o que eu achava antes

minha compreensão e visão agora

se ampliaram. Ninguém que sente da maneira

que você se sentiu e procegue pode ser

considerado fraco. Afinal é um desafio

ao qual muitos não conseguiriam lidar

 

Mas os tempos mudaram e não

estamos mais no colégio. Aquela

epoca acabou.  Agora existem

pessoas dispostas a nos aceitar

 

A voz ainda não totalmente convencida diz:

Por enquanto. Você sabe que não é possível

agradar a todos. Cedo ou tarde

vamos desagradar alguém se você continuar

com essa  tolice de se expor mais

 

A Flor então responde pacientemente

você está certa. Agradar a todos é

uma meta impossível. Mas podemos

agradar a nós mesmas não é melhor?

 

Além do mais existem as pessoas

capazes de nos aceitar. mas nós perdemos

a chance de encontra-las quando nos escondemos

Além do mais nós não morremos se

uma pessoa ou outra não nos aceita

você sabe disso. Afinal sobrevivemos

até mesmo quando ninguém nos aceitava.

 

A voz então fica um pouco mais confiante

e se aproxima um pouco mais da Flor

A Flor fica satisffeita, sabe que para que

o aspecto volte a ela. Ela não pode forçar a barra

Mas sabe que hoje um passo importante já foi dado.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

O Anseio

fe

 

A Flor tentou tanto

A Flor se frustrou tanto

que desistiu por completo

 

A Flor desistiu de um dia

concretizar o anseio de

se sentir feliz, de se

sentir realizada e mesmo

o de se sentir plena

 

A Flor demorou a compreender

o problema não era nem nunca

foi o anseio em si

a questão sempre foi na

forma da busca

 

Uma busca em que

não havia lugar para

a aceitação. Uma busca

cheia de julgamentos

 

Uma busca em meios exteriores

algo que a Flor só poderia

encontrar no seu interior

 

Essa busca a levava para

mais distante do anseio

mais distante do lugar

onde a Flor gostaria de chegar

 

O caminho para o cumprimento

do anseio está justamente

no oposto do que ela havia tentado

 

Está na aceitação de si mesma

e de tudo o que aconteceu

em sua vida até então

 

Está na busca das causas no interior

e em parar de culpar o mundo

externo por tudo

 

Está na auto aceitação

ao invés de procura-la externamente

Está em se amar incondicionalmente

ao invés de esperar ou mesmo

exigir que os outros a amem

 

Quando a Flor percebeu isso

ela enfim viu que a satisfação

está em suas  mãos

e a fé na plenitude

bateu novamente em sua porta

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O Angulo pelo qual se Olha

 

angulo de 60°

Será que a Flor subestima

seu impacto no ambiente?

Talvez sim. Apenas talvez

 

Talvez a Flor chame mais atenção

do que acredita chamar

Talvez suas palavras

toquem as pessoas de

uma maneira mais profunda

do que ela acredita tocar

 

Talvez a Flor não consiga

ver seu impacto no mundo

e só consegue ver que parece

ter conquistado menos que a maioria

 

Mas, será mesmo!?

Talvez ela precise mudar

de perspectiva. Olhar por um outro angulo

 

Não seria uma conquista a capacidade

de olhar para si mesma sem julgamentos?

Não seria uma conquista a habilidade

de assumir a responsabilidade por si?

 

Não seria uma conquista a Flor

estar fazendo coisas que sempre

achou que seria incapaz de fazer?

 

Muitas pessoas que são

aplaudidas pelo publico não

conseguiram tal coisa: Olhar

para si mesmo e transformar

o que precisa ser transformado

 

Então o impacto que a Flor causa

e o quanto ela já conquistou

seja apenas uma questão

de perspectiva, do angulo

pelo qual se olha.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

O Renascimento da Esperança

 

primavera

A Flor se sentiu frustrada tantas vezes

que simplesmente desistiu de certas coisas

a  Flor durante um bom período da

sua vida perdeu a esperança

 

Foi algo quase proposital essa perda

foi uma medida defensiva contra

a frustração.  Como se tudo

o que a Flor fizesse estivesse

fadado ao fracasso.  Então era

melhor não querer nada

 

A Flor se anestesiou da vida

ela sequer parecia sofrer

A Flor escondeu seus sentimentos

dela mesma e não tinha sequer vontade

de voltar a sentir seja o que fosse

 

E a Flor foi seguindo a sua vida

livre da dor e também livre de alegria

A Flor se fechou de tal maneira

que não havia espaço para mais nada

Além de história, geografia, Matemática,

ou qualquer outra matéria escolar

 

Parece melhor assim quando se acredita

que o inverno durará para sempre

e que a primavera nunca chegará

e nunca mais se verá o brilho do sol novamente

 

Dizem que a esperança é a ultima que morre

mas a esperança da Flor havia morrido

E ela continuava suas tarefas do dia a dia

apenas para cumprir tabela.

 

Parece coisa de filme mas o que eu contarei

é real. Um belo dia apareceu alguém

especial na vida da Flor

Alguém que lhe disse que queria

ser seu amigo. E a Flor desconfiou

Mas a insistência dele tornou

impossível a flor persistir duvidando

e a insistência dele fez com que

a Esperança renascesse na vida da Flor

e que chegasse a temporada das Flores

 

( Esse poema é em homenagem há um grande amigo meu que eu encontrei em 2007)

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Tentando o Impossível

 

luz e sombra

A Flor de repente se deu conta

ela passou 98% de sua vida até agora

tentando o impossível

 

A Flor é extremamente dedicada

extremamente determinada e persistente

E assim ela persistiu no que acreditava

ser o melhor, a melhor das atitudes

 

Ela persistiu em não  ter nenhum

sentimento negativo em nenhum

momento de sua vida

 

A Flor persistiu em tentar

ser simpática com todos

mesmo com as pessoas

dais quais ela sofria algum

abuso psicológico. A Flor sentia

que ela tinha se ser boa com todos

sejam eles com fossem

Haja o que houvesse.

 

E assim a Flor insistiu em uma bondade

bondade essa que nada tinha de

verdadeira ou genuína. Era apenas

algo que ela sentia que tinha de ser

e por isso era algo forçado

 

A Flor não conseguia ser boazinha

todo o tempo. E isso a deixava

frustrada. Ela se sentia incapaz

 

Mas a Flor nunca foi incapaz

ela apenas estava tentando

o impossível. A flor assim como todos

possue os dois lados. E a questão

nunca foi eliminar o lado escuro

mas encontrar um equilíbrio

entre a Luz e a escuridão

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A Flor e a Amiga

Companheirismo de mãos dadas feito

Como duas pessoas podem ser

tão diferentes e ao mesmo tempo tão iguais?

Pode não fazer sentido mas é o que acontece

entre a Flor e uma grande amiga dela

 

A Flor gostava de estudar, ainda gosta

por isso a Flor fez dos estudos sua fuga

a maneira de se defender contra um

mundo cruel e que não a entendia

 

A amiga já não ligava muito para

os estudos. Se revoltou contra os padrões

e se recusou a segui-los. Já Flor

queria pertencer a algum lugar

e para isso faria qualquer coisa

inclusive seguir padrões que não acredita

 

A amiga tentava ser entendida

expressando suas emoções. Já a Flor

reprimia suas emoções pois achava

que expressando-as ninguém a entenderia

 

Mas a Flor  percebeu algo. Tais diferenças

são superficiais. São apenas defesas diferentes

formas diferentes de lidar com os mesmos

sentimentos de rejeição, de inferioridade

de não pertencer a lugar algum

 

Então mesmo com as diferença de atitudes

a Flor e a amiga são iguais em sentimentos

E é daí que vem tamanha afinidade

e segurança ao falar uma com a outra

Afinal, elas são diferentes

mas ao mesmo tempo iguais

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Metamorfose Ambulante

metamorfose

A maior parte da vida da Flor

foi livre de mudanças

sejam elas interiores  ou exteriores

 

E isso não a incomodava

ela achava melhor assim

gostava da estabilidade

A estabilidade fazia com que

a Flor se sentisse segura

 

Mas de uns anos para cá

tudo mudou.  E a estabilidade

pareceu evaporar no ar

 

A Flor começou a sentir as dores

de coisas passadas  começou a sentir

a dor de que sempre fugiu

a dor que nunca havia se permitido sentir

 

Mas dessa vez parece não ter havido

escolha, acumulou tanto que não dava

não tinha mais aonde esconder

Não havia mais espaço

aquela dor tinha de sair

 

E agora parece ter saído já

grande parte de sua dor

e com essa saída seu interior

muda como nunca antes foi capaz

e o interior da Flor passa a ser

Uma metamorfose ambulante

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Aproveitar a Vida

aproveitar

As vezes a Flor olhava

a volta do Jardim em que estava

A Flor não sabia o motivo

tudo o que ela sabia era

que ela não se encaixava ali

ali não era o seu lugar

 

Parecia que o vento havia

cometido um erro e colocado

a semente em um local errado

Essa flor devia estar destinada

a outro Jardim mais a ver com ela

 

Afinal lá só queriam saber de festas

de badalação, de sair ficando com

qualquer um que aparecesse na frente

 

E a Flor achava o português, matamática,

ciências, geografia enfim qualquer matéria

muito melhor do que ir a um local

super barulhento que nem dá para conversar

 

A Flor tentou se comunicar mas

ninguém parecia interessado no que

ela tinha a dizer.  Só se interessavam

em curtir as baladas e diziam que a Flor

não aproveitava a vida

 

Acontece que para a Flor isso

não era aproveitar a vida

para a Flor aproveitar a vida

é descobrir novas coisas

Crescer a cada experiência nova

e como recentemente descobriu

fazer a cada dia mais descobertas

a respeito de seu eu interior

 

A Flor decidiu já é hora

de parar de tentar se enquadrar

a viver a vida a maneira dela.

domingo, 16 de janeiro de 2011

A viagem

viagem

A Flor está fazendo uma viagem

Não, não é uma viagem física

mas mesmo assim é fascinante

 

é uma viagem rumo ao eu interior

Nela você descobre aspectos

que nunca sonhou encontrar

dentro de si mesmo

 

Descobre coisas que preferiria

nunca descobrir mas descobre também

potencias que nunca sonharia ter

 

Descobre o quanto você contribuiu

para que sua vida esteja da maneira que está

e descobre que, mesmo que não seja

de um dia para oi outro, sua  vida pode ficar

da maneira que você sempre sonhou

ou talvez até melhor  do que um dia

conseguiu imaginar

 

E assim a Flor segue essa viagem

que nem sempre é fácil

mas é sempre fascinante

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

A Fuga para o Mundo interior

mundo interior

O mundo parecia ameaçador

A Flor não via em si recursos

para lidar com ele para sobreviver nele

A Flor parecia vulnerável demais

e não ter meios de defesas

 

Nessa situação o que a Flor faria?

Como a Flor sobreviveria?

Como conseguiria viver o dia a dia?

 

A Flor então fez o que parecia

ser a única saída, a única solução

o único meio de não pirar completamente

 

A Flor criou um mundo em sua mente

e nele se escondeu quase nunca se

aventurando no mundo exterior

Seu mundo interno parecia muito

melhor e mais agradável

além de menos perigoso

 

E assim a maior parte da sua vida

a Flor quis impedir o movimento

o ciclo natural das coisas e tentou

a todo custo permanecer sempre

uma Flor fechada. Impedindo

as petalas de se abrirem

 

Mas a natureza seguiu seu curso

independente de sua vontade

não se pode impedir o movimento

natural para sempre

 

E o desabrochar foi bem complicado

no começo e as vezes ainda é

mas a Flor descobriu ganhos inesperados

no processo de se abrir ao mundo

ela descobriu que mundo não é

tão perigoso e que nele

existem pessoas que lhe dão

as Boas vindas!!!