segunda-feira, 31 de maio de 2010

O antes

As vezes a flor tenta
viver a vida como antes
como se nada houvesse mudado
em seu interior

Mas a mudança está ocorrendo
e a flor detestava o resultado
das atitudes de antes
mas a flor descobriu algo

O antes era confortável
era confortável a proteção
era confortável não arriscar
era confortável até mesmo
ser subestimada

Ser subestimada era uma garantia
a flor não decepcionaria ninguém
E qualquer coisinha que fizesse
seria surpreendente
seria admirável

A flor não que mais esse conforto
pois ele frustra tudo em sua vida
Mas parece que há uma parte
do interior da flor
que se recusa a deixar
que o antes se vá

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Eu preciso segui meu proprio caminho 2

Resolvi colocar o video dessa musica no meu blog por uma razão muito simples. Ela tem tudo a ver com o que estou vivendo.

Foi muito bom encontrar essa musica porque através dela eu compreendi o proposito de alguns rompimentos que aconteceram recentimente em minha vida.

Não se trata de romper com um namorado no meu caso. Há uma forte ligação em algumas amizades. Mas as vezes as coisas mudam. E eu percebi que preciso seguir meu proprio caminho...

Eu preciso seguir meu proprio caminho

domingo, 23 de maio de 2010

A esperança e a Expectativa

A flor esqueceu por um tempo
da promessa que fez a si mesma
e a promessa foi:

Que iria viver sua vida
sem exigir da mesma
que sempre houvesse
o resultado esperado

Expectativas demais
geram frustração
Talvez esperança seja
simplesmente acreditar
que no final o resultado
será a satisfação

No entanto sem impor um tempo
para isso acontecer
sem impor uma forma
em que isso teria de acontecer

Porque quando se faz isso
a frustração torna-se inevitável
A flor não tem certeza de nada
mas talvez na esperança esteja
contida a crença de que o que
acontece, mesmo que não parece
tem algo de positivo

E não seja exatamente querer
de qualquer jeito que algo aconteça
e no tempo esperado.

A flor acredita que é
quando fazemos isso
que a esperança
transforma-se
em expectativa

domingo, 16 de maio de 2010

O medo da esperança

A flor boquiaberta
faz uma descoberta
quando uma nova esperança
começa da nascer
o que ela sente é medo

Afinal sempre há o risco
das coisas não darem assim
tão certo quanto ela espera
e assim depois vir a decepção
e a flor ficar pior do que antes

É como se a flor se sentisse
despreparada para lidar
com otimismo e com a esperança

Como se a flor visse
o pessimismo como proteção
proteção contra uma possível decepção

Agora a flor compreende
o motivo de as vezes ser
tão complicado abrir
mão do pessimismo

Mas por mais assustador
que seja a flor irá
deixar a nova esperança nascer
A flor percebeu que
se ela não encarar seus medos
jamais conseguirá sair
do local em que se encontra

quarta-feira, 12 de maio de 2010

A Nova Aventura

Uma nova oportunidade surge
uma nova aventurá começará
A flor recebeu um proposta
proposta pela qual ela não esperava

Trata-se de algo que ela nunca fez
de algo que ela nunca imaginou
que um dia faria e algo o qual
a flor pouco conhece

No entanto a flor
dará um passo a frente
está decidida a isso
por isso não teve duvidas
aceitou a proposta

Uma proposta empolgante
e ao mesmo tempo assustadora
Mas a flor enfrentará o medo
e assim está começando
a nova aventura em sua vida.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

A Flor e o Arbusto

A flor viu
o arbusto que ela idealizou
é capaz de julgar
alguém com quem
ela nunca falou

Pelas roupas que usa
pelo tom de suas vozes
isso já é suficiente
para tirar conclusões, não é?

A flor nunca tinha reparado nisso
mas a culpa não é desse arbusto
foi a flor que o idealizou

Na verdade a flor não o enxergava
enxergava apenas um arbusto
que era admirado
e a flor era o problema

A flor não enxergava o arbusto
com seu lado positivo
e também com seu lado negativo
ele era a Admirado
simplesmente isso

E de repente a flor se questionou:
Se não fôssemos da mesma familia
nos falaríamos. Seríamos amigos?

Ele olharia para mim quieta em um canto
e se aproximaria ou chegaria a conclusões
sem sequer me conhecer?

A flor simplesmente viu
que aquele arbusto forte em especial
não era o que ela esperava

E ela sabia que não era culpa do arbusto
A flor o havia exaltado
e sempre após a exaltação há a queda

domingo, 2 de maio de 2010

A flor e o vidro

A flor estava protegida
dentro de um vidro
difícil de se quebrar

Pessoas que a amavam
a colocaram lá
e a flor não só consentiu
como ajudou a construir o vidro

Ela era frágil demais
jamais sobreviveria
e assim além do vidro
a flor se proibiu de desabrochar

jamais se sentiu segura para tal ato
E assim o tempo passou
com a flor dentro de um vidro
e com as petolas fechadas

Mas uma vontade começou
a crescer dentro de seu interior
E a flor não conseguia mais
se contentar com os limites
estreitos do vidro em que estava

Suas petolas começaram a se abrir
e a flor não cabe mais dentro do vidro
as petolas estão precisando quebrá-lo
isso pode parecer agressivo

A flor talvez não devesse
mas espera que as pessoas próximas
um dia entendam: Sua agressividade
nada tem a ver com eles
e sim com a quebra do vidro