segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A toca e a Jornada

Durante toda a minha vida eu estive numa toca
Uma toca que ninguém conhecia
Numa toca que ninguém ousava penetrar
Nela eu escondia tudo
Nela eu escondia meus verdadeiros sentimentos
Nela eu escondia minhas verdadeiras opiniões

Pois achava que me conhecessem tal como era iriam me rejeitar
Então eu comecei a fingir
E o que eu passei a mostrar nada tinha a ver com meu eu real
E eu percebi que meus amigos não eram amigos do meu eu real
mas do eu ilusório que eu criei

Por isso estou em uma jornada
Uma Jornada de recuperação de quem eu sou de verdade
E nela eu começo a ter verdadeiros amigos
O que é gratificante já que percebo que ara ter amigos eu não preciso fingir;

Um comentário:

  1. Luciana, leio seus poemas e na simplicidade das palavras,percebo o quanto é profundo cada verso.Quem dera mais seres humanos tivessem essa coragem que você tem de olhar para dentro de si mesma, encarar de frente e com tanta humildade a sua verdade interior,e ainda se expor de forma tão singela.Obrigada por estar aqui fazendo parte desse mundo que precisa tão urgentemente de mais pessoas como você! L.Ana

    ResponderExcluir